Temporal em Arraial do Cabo causa danos graves em cemitério de Petrópolis

Cemitério em Petrópolis ficou parcialmente destruído após chuvas

A Defesa Civil de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, emitiu um alerta de risco muito alto para deslizamentos de terra na cidade. A previsão é de continuidade de chuvas, que já causaram a morte de pelo menos quatro pessoas devido a desabamentos.

No último sábado, sepulturas e gavetas do cemitério municipal de Petrópolis foram destruídas por conta de deslizamentos de encostas. Segundo a Prefeitura, a área do setor 9 entrou em colapso devido ao temporal, deixando restos mortais expostos após a destruição de caixões e jazigos.

As intervenções necessárias para transferir os corpos sepultados e realocá-los em novas gavetas dependem da autorização da Justiça, que ainda está sendo aguardada para o início dos trabalhos. Enquanto isso, o setor do cemitério foi interditado para preservar a área.

A Prefeitura informou que a Secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública está atuando no local. Assim que a Justiça autorizar a movimentação, as famílias serão contatadas para acompanhar o processo.

Petrópolis é o município do Rio de Janeiro com o maior número de vítimas das chuvas que atingem parte do Sudeste desde sexta-feira. Quatro pessoas da mesma família perderam a vida, sendo os pais, a avó e o irmão de uma criança de quatro anos que foi resgatada após passar mais de 16 horas sob os escombros.

Além de Petrópolis, as cidades de Teresópolis, Duque de Caxias e também registraram mortes devido aos temporais, totalizando oito vítimas fluminenses da tragédia. No Espírito Santo, o número de mortes já chega a 15, a maioria delas na cidade de Mimoso do Sul.

A situação é preocupante, e é fundamental que a população esteja alerta e tome as devidas precauções. A Defesa Civil tem reforçado a importância de evitar áreas de risco, como encostas e morros, durante períodos de chuva intensa. A previsão de continuidade das precipitações requer ainda mais cuidado.

As equipes de resgate e órgãos responsáveis estão trabalhando intensamente para ajudar as vítimas e minimizar os danos causados pelas chuvas. A população também pode contribuir, atendendo às orientações das autoridades e se mantendo informada por meio dos canais oficiais de comunicação.

É fundamental que as medidas de prevenção sejam seguidas, como evitar áreas de alagamento, não atravessar ruas inundadas e, se necessário, buscar abrigo em locais seguros. A segurança e o bem-estar de todos devem ser prioridade nesses momentos.

A tragédia causada pelas chuvas na região sudeste é um alerta para a necessidade de políticas públicas eficientes para prevenção e mitigação de desastres naturais. Investimentos em infraestrutura, como obras de contenção de encostas e sistemas de drenagem, são essenciais para evitar perdas humanas e materiais.

Enquanto as autoridades desenvolvem ações para lidar com a situação atual, é importante que a sociedade também se mobilize, cobrando medidas concretas e apoiando iniciativas de prevenção e assistência às vítimas. A solidariedade nesse momento é fundamental para ajudar a reconstruir a vida das pessoas afetadas por essa tragédia.

Além disso, é crucial que a população esteja preparada para lidar com situações de emergência, conhecendo os procedimentos de segurança e tendo um plano de evacuação em caso de necessidade. A informação e a conscientização são armas importantes para enfrentar os desafios que as chuvas podem trazer.

Que as autoridades tomem as medidas necessárias para garantir a segurança e o bem-estar de todos e que a população esteja unida nesse momento difícil, buscando soluções e ajudando uns aos outros. Somente assim poderemos superar essa situação e reconstruir o que foi destruído pelas chuvas.

Ajude-nos e avalie esta notícia.
Bruno Rodrigo Souza

Bruno Rodrigo Souza

Bruno é Fundador e Editor no Guia Região dos Lagos

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]