Maricá: Túnel pode beneficiar sistema hídrico Imunana-Laranjal

Água: construção de túnel pode ajudar sistema Imunana-Laranjal | Enfoco

Uma alternativa para o serviço de abastecimento de água do Sistema Imunana-Laranjal foi apresentada pela Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio (Seaerj). Durante um seminário realizado no último dia 22, a Seaerj propôs uma melhoria no processo de captação de água.

A proposta consiste na construção de um túnel-adutor de 48 quilômetros, que se estenderia do município de Anta até Guapimirim, no estado do Rio de Janeiro. O projeto sugere captar água abaixo da cidade de Três Rios, no Centro-Sul Fluminense, onde há um maior volume de água devido ao encontro dos rios Paraíba do Sul, Rio Piabanha e Paraibuna.

De acordo com a Seaerj, essa localização permitiria adicionar 30 metros cúbicos de água para as três cidades beneficiadas. Atualmente, o Sistema Imunana-Laranjal abastece dois milhões de pessoas em Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, parte de e a Ilha de Paquetá.

O engenheiro Francisco Filardi, vice-presidente da Seaerj, destaca que a principal vantagem da construção do túnel-adutor seria a capacidade de captar água com um menor custo de energia, já que a água seria coletada em queda livre em uma altura de 200 a 80 metros.

O projeto prevê um prazo de quatro a cinco anos para sua conclusão e um custo aproximado de R$ 1,1 bilhão. Filardi sugere que os recursos para a obra sejam captados por meio de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

A proposta foi apresentada por um engenheiro em 1996, quando Filardi atuava como Coordenador do Programa de Despoluição da Baía de Guanabara. Ele ressalta que o processo de captação da água é determinante para a qualidade do abastecimento, uma vez que substâncias químicas presentes no lençol freático podem ser extraídas junto com a água e seguir para o tratamento.

Filardi destaca a importância de convencer os políticos sobre a relevância da obra, ressaltando que ela vai além de uma gestão de governo, é uma obra de Estado. Além disso, ele afirma que a execução do projeto envolverá diversos profissionais e etapas, como estudos de viabilidade técnica, econômica e financeira, trabalho de campo, desapropriações e definição de tecnologias utilizadas na construção.

A Cedae, responsável pelo abastecimento de água na região, informou que já iniciou estudos para verificar a viabilidade do projeto e está investindo R$ 140 milhões em obras de reforço e modernização do Sistema Imunana-Laranjal. As ações incluem a modernização dos filtros e floculadores, substituição de bombas de água bruta e reformulação do sistema de monitoramento e controle do processo de tratamento.

A proposta dos engenheiros da Seaerj surge como uma alternativa para fortalecer o abastecimento de água na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Com a construção do túnel-adutor, seria possível captar água de forma mais eficiente e garantir o fornecimento para as cidades abastecidas pelo Sistema Imunana-Laranjal. Resta acompanhar os desdobramentos e a viabilidade do projeto.

Ajude-nos e avalie esta notícia.
Bruno Rodrigo Souza

Bruno Rodrigo Souza

Bruno é Fundador e Editor no Guia Região dos Lagos

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]