Maricá: Suspeito de assassinar a ex em Maricá entra na delegacia com expressão de alegria; vídeo

Acusado de matar a ex em Maricá chega sorrindo na delegacia; vídeo | Enfoco

Acusado de feminicídio chega sorrindo na delegacia após prisão

Crime choca a cidade de

No último sábado (30), a cidade de , situada na região dos Lagos, foi abalada por um crime brutal. Neri Augusto Júnior, acusado de matar a facadas a ex-namorada Emilly Marques, de 24 anos, foi preso por policiais militares em uma casa localizada no bairro Cordeirinho. O acusado, ao chegar na delegacia, chegou sorrindo, o que causou revolta e indignação.


Momento em que Neri Augusto Júnior chegou sorrindo na delegacia


|  Foto:
Reprodução

Acusado de duplo homicídio é capturado pela polícia

Imagens divulgadas pela PM mostram o momento em que Neri Augusto chega na sede da 82ª DP (Centro). Vestindo apenas uma bermuda, descalço e algemado, o acusado é levado por dois policiais para a distrital, no momento em que é conduzido ele olha para a câmera e sorri.

Além de Emilly, Neri Augusto também é acusado de matar Glayson Rosa da Silva, o amigo que tentou ajudar a vítima, mas acabou esfaqueado. As vítimas foram levadas para um hospital da região, porém, não resistiram aos ferimentos. A brutalidade do crime chocou os moradores da cidade, que exigem justiça para os envolvidos.

Transferência para a Delegacia de Homicídios

Após ser levado para a 82ª DP, Neri Augusto foi transferido para a Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG). O acusado responderá por feminicídio, homicídio e tentativa de homicídio, pois além de atacar a ex-namorada, ele também tentou matar um primo dela.

O crime de feminicídio, caracterizado pelo assassinato de uma mulher em contexto de violência doméstica ou por questões de gênero, é considerado hediondo no Brasil e tem pena agravada. A legislação brasileira busca combater o alto número de casos de violência contra a mulher, ressaltando a necessidade de proteção e punição adequada aos culpados.

Indignação na sociedade

A atitude do acusado ao chegar na delegacia, sorrindo após cometer um crime tão brutal, gerou revolta e indignação na sociedade. Muitos questionam a falta de arrependimento e a gravidade do crime que ele cometeu.

O feminicídio é um problema que atinge diversas mulheres em todo o país. É fundamental que a sociedade e as instâncias judiciais estejam atentas para combater essa violência e garantir a segurança das mulheres. Além disso, é preciso oferecer suporte e acolhimento às vítimas, incentivando denúncias e promovendo campanhas de conscientização sobre a importância do respeito e da igualdade de gênero.


Polícia captura o acusado de feminicídio em Maricá


|  Foto:
Reprodução

Consequências do feminicídio

O feminicídio não só tira a vida de uma mulher, mas também deixa marcas profundas na família e na sociedade como um todo. Os parentes das vítimas necessitam de apoio psicológico e emocional para enfrentar o luto e seguir adiante.

Além disso, a violência contra a mulher afeta diretamente a sociedade, pois contribui para um cenário de medo e insegurança, gerando um clima de desconfiança e preocupação. É necessário fortalecer as políticas públicas de combate à violência de gênero, investindo em educação e conscientização para que essa realidade possa ser transformada.

Conclusão

O caso de feminicídio ocorrido em Maricá chocou a população e escancarou a realidade cruel que muitas mulheres enfrentam diariamente. É preciso que a justiça seja feita, punindo rigorosamente os culpados e garantindo a segurança das mulheres. Além disso, é fundamental promover a conscientização sobre a igualdade de gênero e o respeito às mulheres, para que possamos construir uma sociedade mais justa e igualitária, onde todas as pessoas, independentemente de seu gênero, possam viver livres da violência.

Fonte da Notícia: Plantão Guia Região dos Lagos

5/5 - (1 vote)
Bruno Rodrigo Souza

Bruno Rodrigo Souza

Bruno é Fundador e Editor no Guia Região dos Lagos

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]