Maricá: Jiboia de 3 metros é capturada em casa de Maricá; família acredita que gatinha foi engolida

Jiboia de 3 metros é capturada em casa de Maricá; família acredita que gatinha foi engolida

Cobra de 3 metros é capturada em casa de Maricá; família suspeita que gatinha tenha sido engolida

Guarda Municipal de resgatou uma jiboia de três metros

Na quarta-feira (22), a Guarda Municipal de , na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, capturou uma cobra jiboia em uma residência do bairro Santa Paula. O espécime mede aproximadamente três metros de comprimento e estava no galinheiro da casa.

A moradora da casa, Kelly Moraes, que é bióloga, acredita que a jiboia tenha engolido a gatinha da família, devido à forma como o animal estava.

Presença de cobras é comum no local, mas nunca uma dessa proporção

Kelly relatou que essa não é a primeira vez que cobras são avistadas na área, mas é a primeira vez que encontram uma de tamanho tão impressionante. Seu pai demorou a perceber a presença da cobra dentro do galinheiro. Ao entrar no espaço para cuidar das galinhas, ele notou que a terra estava mexida, mas só se deu conta da cobra quando já estava bem perto dela.

“Quando meu pai me chamou, fiquei muito surpresa com o tamanho, pois nunca vimos um animal desse porte aqui. É comum aparecerem outras cobras por aqui, inclusive já retirei algumas do meu terreno e as devolvi à mata, mas o tamanho dessa nos impressionou”, explicou a bióloga.

Esforço para capturar a jiboia

O Grupamento Especial de Defesa Ambiental da Guarda Municipal de Maricá foi acionado através do Disque-SEOP para realizar o resgate. Mesmo enfrentando dificuldades devido ao tamanho e peso do animal, além do espaço limitado onde a cobra estava escondida, os agentes conseguiram capturá-la.

Durante a ação de resgate, a jiboia ficou agitada e demonstrou agressividade. Após ser capturada, a cobra foi solta de volta à natureza.

Recomendação de especialistas

Roberto, coordenador do Grupamento Ambiental, informou que é comum a aparição de animais silvestres em Maricá. No entanto, a recomendação é nunca tentar capturá-los por conta própria.

“Com 61% de área protegida em nosso município, é comum também o surgimento de serpentes na nossa localidade. O cidadão não deve tentar realizar esse resgate. Sempre acione a Guarda Ambiental, que realizará o resgate com toda segurança e proteção para o cidadão”, reforçou o coordenador.

Fonte da Notícia: G1

Ajude-nos e avalie esta notícia.
Bruno Rodrigo Souza

Bruno Rodrigo Souza

Bruno é Fundador e Editor no Guia Região dos Lagos

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]