Família busca justiça um ano após assassinato em São Pedro da Aldeia

Família de mulher morta luta por justiça um ano após o crime | Enfoco

Wania foi baleada após uma discussão com o marido, o militar Alexandre Neves
Foto: Reprodução

Há aproximadamente um ano, a professora Wania Lúcia Firmiano da Silva, de 47 anos, foi vítima de um crime brutal. Ela foi baleada pelo marido, o militar Alexandre Neves da Invenção, de 49 anos, durante uma discussão em , na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. A família de Wania continua lutando por justiça, buscando garantir que o responsável pelo assassinato seja punido conforme a lei.

O crime ocorreu em 24 de junho do ano passado, e Wania faleceu três semanas após ser atingida. Ela estava internada no Hospital Estadual Roberto Chabo, em Araruama, quando veio a óbito. Enquanto isso, o acusado do crime permanece preso, mas a defesa dele tem insistido na solicitação de liberdade, o que tem gerado grande preocupação na família da vítima.

O irmão de Wania, Willer Firmiano, revela que o filho mais novo da professora ainda vive com medo de que o acusado seja solto e tente atingi-lo. Isso porque o jovem estava presente no momento do crime e presenciou a morte de sua mãe. A criança ainda sofre com traumas em decorrência dessa experiência traumática. Willer ressalta a importância de manter o acusado preso e levá-lo a júri popular para que ele possa pagar pelo crime cometido.

Willer afirma que a família de Wania sente muita falta da professora, que era uma pessoa alegre e de sorriso contagiante. Ela cuidava dos pais e do filho de forma independente, e sua morte deixou um vazio na vida de todos. A família deseja que o responsável pelo crime seja condenado não apenas pela dor que causou à família, mas também para que a justiça seja feita.

No dia do crime, Alexandre foi preso em flagrante por agentes do 25° BPM (Cabo Frio). Um policial militar, que morava próximo ao casal, ouviu os disparos e se dirigiu à janela, onde encontrou Alexandre com a arma na mão. Ao adentrar o local, o policial encontrou Wania ferida. O acusado entregou suas três armas à polícia e foi detido com a ajuda de moradores próximos até a chegada de uma viatura policial. Ele foi conduzido à 126ª DP (Cabo Frio), onde o caso foi registrado e posteriormente entregue à Marinha.

A Marinha do Brasil emitiu uma nota lamentando o ocorrido e repudiando qualquer ato ilegal que viole os valores militares. O caso encontra-se na fase de instrução e julgamento, e uma nova audiência está marcada para esta terça-feira (7). A família de Wania espera que o acusado seja mantido preso e que seja julgado por júri popular, a fim de que a justiça seja feita.

Fontes:

Militar é preso acusado de atirar em esposa na Região dos Lagos

Mulher baleada por marido da Marinha tem morte cerebral decretada

Imagens:

Imagem relacionada ao caso
Imagem relacionada ao caso
Foto: Reprodução

 

Ajude-nos e avalie esta notícia.
Bruno Rodrigo Souza

Bruno Rodrigo Souza

Bruno é Fundador e Editor no Guia Região dos Lagos

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]