Menu

> Cidades

[wilcity_quick_search_form_shortcode]

Dubladores brasileiros exigem regulamentação da inteligência artificial

Por que dubladores brasileiros protestam por regulamentação da inteligência artificial?

Dubladores brasileiros fazem protesto por regulamentação da inteligência artificial

Dubladores brasileiros estão se mobilizando para exigir a regulamentação do uso da inteligência artificial em filmes, séries, jogos de videogame e outras produções audiovisuais. O objetivo é evitar que artistas humanos sejam substituídos por sistemas capazes de imitar vozes reais, usando padrões vocais disponíveis na internet.

O movimento, chamado de Dublagem Viva, conta com o apoio de diversos dubladores renomados, como Wendel Bezerra, a voz do personagem Goku de “Dragon Ball”, Gilberto Baroli, o Saga de “Os Cavaleiros do Zodíaco”, Selma Lopes, a Maggie Simpson, e Christiane Monteiro, a Lindinha de “As Meninas Superpoderosas”. A iniciativa também recebeu o apoio de outros profissionais da área, que gravaram vídeos em apoio à campanha.

A preocupação dos dubladores é válida, uma vez que a inteligência artificial tem avançado rapidamente e já consegue imitar com precisão vozes humanas. Um relatório da Universidade de Oxford, publicado em 2013, classifica os dubladores como profissionais ameaçados pela evolução tecnológica. Com a possibilidade de substituição por robôs que imitam vozes reais, há o receio de que seu trabalho seja prejudicado e que a qualidade da dublagem seja comprometida.

A petição liderada pela United Voice Artists, um grupo global de associações de dublagem, já conta com mais de 50 mil assinaturas. O objetivo é impedir a substituição de dubladores humanos por robôs e garantir que a regulamentação do uso da inteligência artificial esteja de acordo com as leis de direitos autorais, os contratos de trabalho estabelecidos e os acordos com os detentores dos direitos.

Além disso, os dubladores também pedem que a inteligência artificial não seja usada para promover estereótipos, discriminação racial, étnica, de gênero ou qualquer forma de discriminação e preconceito. Eles defendem que a regulamentação seja elaborada de forma abrangente, consultando todos os envolvidos no setor, incluindo profissionais da dublagem, estúdios de produção, detentores de direitos autorais, especialistas e sociedade civil.

No manifesto do movimento Dublagem Viva, é ressaltado que a inteligência artificial pode ser uma ferramenta complementar, auxiliando e aprimorando os processos em produções audiovisuais. Por exemplo, a tecnologia pode ajudar no combate à pirataria de conteúdo, ao fornecer mecanismos mais eficazes para detectar e bloquear reproduções ilegais. Além disso, pode ser utilizada para criar ferramentas de reconhecimento de voz e análise de conteúdo, visando identificar tentativas de uso não autorizado de material dublado.

Os dubladores reforçam a importância de preservar a expressão vocal, a emoção e a interpretação artística que os profissionais trazem para o processo de dublagem. Eles enfatizam que a tecnologia deve ser vista apenas como uma ferramenta auxiliar, não como um substituto para o trabalho humano.

Os limites para o uso da inteligência artificial em produções audiovisuais são discutidos em todo o mundo. Em 2023, os atores de Hollywood entraram em greve por quase quatro meses, justamente para tratar desse assunto. O acordo firmado ao fim da greve não bloqueia o uso da IA, mas garante aos artistas compensações justas e o direito ao consentimento para ter suas imagens reproduzidas ou alteradas por computador.

Diante desse cenário, é essencial encontrar um equilíbrio entre o avanço tecnológico e a preservação dos empregos e da qualidade da dublagem. Os dubladores brasileiros estão empenhados em lutar por seus direitos e garantir que a inteligência artificial seja utilizada de forma ética e responsável nas produções audiovisuais.

Ajude-nos e avalie esta notícia.
Felipe Rabello

Felipe Rabello

Felipe é um dos editores do Guia Região dos Lagos.

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]