Desvendando os obstáculos que impedem o 5G de decolar no Brasil

Legislação e altos custos de operação: entenda os desafios para a expansão da rede 5G no Brasil

Legislação e altos custos de operação: os desafios para a expansão da rede 5G no Brasil

Há pouco mais de um ano, a rede 5G chegou ao Brasil, prometendo uma velocidade de navegação até 100 vezes mais rápida do que o 4G. Desde então, mais de 10 milhões de usuários no país já aderiram a essa tecnologia, segundo as empresas do setor. No entanto, apesar do rápido avanço, ainda há muitos desafios para a expansão da rede 5G no Brasil.

Um dos principais obstáculos é a legislação. A implementação da nova lei das antenas, que facilita o licenciamento para instalação de antenas, precisa ser aprovada pelos municípios. Até o momento, apenas 447 cidades brasileiras atualizaram suas leis, o que representa cerca de 44% da população do país. Isso significa que mais de 50% da população ainda vive em cidades que não possuem uma lei adequada para receber antenas de 5G.

Um exemplo positivo nesse sentido é São Paulo, onde a lei das antenas foi aprovada em janeiro de 2022. Em março, a prefeitura firmou um acordo com as operadoras para instalar antenas em áreas periféricas, como Marsilac. Ao todo, foram instaladas 318 antenas em apenas 11 meses. Essa agilidade no licenciamento mostra a importância de uma legislação favorável para a expansão da rede 5G.

Além da legislação, os altos custos de operação no Brasil também são um desafio para a democratização do 5G. De acordo com o Sindicato das Empresas de Telecomunicações, a maioria da população brasileira possui uma renda média baixa, o que dificulta o acesso aos serviços de telecomunicações. Uma carga tributária elevada é apontada como um dos responsáveis por esses altos custos. A reforma tributária é vista como uma possível solução, desde que leve à redução da carga tributária sobre as telecomunicações.

Outro desafio para a expansão da rede 5G no Brasil está relacionado à infraestrutura. A chegada do sinal de qualidade depende do número de antenas disponíveis. Segundo o movimento Antene-se, que discute melhorias na conectividade, nenhum capital brasileira possui a quantidade ideal, que é de 1000 habitantes para cada antena. Isso indica a necessidade de investimentos na instalação de antenas em todo o país.

Apesar dos desafios, o governo tem buscado avanços nessa área. No final de agosto, a frequência 5G foi liberada em mais de 100 municípios brasileiros, ultrapassando a marca de 1.800 cidades aptas a receber a tecnologia. Isso significa que mais da metade da população brasileira vive em áreas que já estão preparadas para o 5G.

A expansão da rede 5G é fundamental para o desenvolvimento tecnológico do país. Além de proporcionar uma conexão mais rápida e estável para os usuários, a tecnologia também impulsiona a inovação em diversos setores, como saúde, indústria, agronegócio e mobilidade urbana.

No entanto, é necessário que sejam superados os desafios da legislação e dos altos custos de operação para garantir a democratização do 5G no Brasil. A aprovação das leis das antenas em mais municípios e a redução da carga tributária sobre as telecomunicações são medidas importantes nesse sentido. Além disso, é fundamental investir na infraestrutura necessária para garantir uma cobertura adequada em todo o país.

A expansão da rede 5G é um passo importante para o Brasil se manter competitivo no cenário global e promover o desenvolvimento tecnológico de diversas áreas. Com uma conexão mais rápida e estável, será possível impulsionar a economia, melhorar a qualidade de vida da população e abrir novas oportunidades para inovação e crescimento. É necessário que todos os setores envolvidos trabalhem em conjunto para superar os desafios e garantir a expansão da rede 5G em todo o país.

Ajude-nos e avalie esta notícia.
Felipe Rabello

Felipe Rabello

Felipe é um dos editores do Guia Região dos Lagos.

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]