Condenação de policial em caso de estupro durante abordagem em Saquarema; absolvição de outros 4

spot_img

Caso de estupro durante abordagem policial em Saquarema: Um policial condenado e quatro absolvidos

A Justiça do Rio de Janeiro concluiu o julgamento de cinco policiais militares denunciados por tortura e estupro de uma jovem de 18 anos na cidade de . O crime ocorreu em abril do ano passado durante uma abordagem dos agentes do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis).

Na decisão, o Cabo Gerson Jucá Quirino Rolim de Paula foi condenado por estupro, com uma sentença de prisão em regime fechado pelo período de seis anos, dez meses e quinze dias. Também foi decretada a perda da função pública dele. O ex-policial foi absolvido na prática do crime de tortura.

Já o sargento Diogo Vianna Lourenço, os cabos Alexsander Moreira de Simas e Sanclair Marinho Antunes Corecha, e o tenente Thiago dos Anjos foram absolvidos dos crimes de estupro e tortura.

Os agentes estão afastados da função como policiais desde o início das investigações.

A Corregedoria da Polícia Militar também abriu um procedimento interno para apurar o caso.

Em nota atualizada, a corporação informou que os procedimentos relativos aos referidos policiais seguem em curso na Corregedoria da Corporação e as decisões judiciais também norteiam os trâmites apuratórios nesse sentido.

Segundo relato do advogado da vítima, ela e uma amiga foram abordadas em um bar após alguns rapazes fugirem do local deixando drogas para trás.

As jovens foram questionadas pelos policiais sobre quem eram os rapazes e foram levadas até a viatura para prestar esclarecimentos.

O advogado conta que, a princípio, os policiais foram até a Delegacia de , mas não desceram da viatura, partindo em seguida para a Reserva de Vilatur, uma área mais isolada e deserta, onde passaram a ser acompanhados por outra viatura.

As jovens alegam que, no local, foram questionadas e pressionadas a informar quem eram os rapazes que fugiram do bar. Em certo momento, ainda de acordo com o advogado, um dos policiais se afastou, levando a jovem de 18 anos para longe dos demais policiais e da amiga, e com uma faca teria forçado a jovem a manter relações sexuais com ele por cerca de 20 minutos.

As jovens relataram que passaram cerca de três horas sob o poder dos policiais e que depois disso foram liberadas próximo ao local onde foram abordadas.

O tenente Thiago dos Anjos não estava na viatura com os demais policiais, mas deveria fazer a supervisão do Proeis na noite do caso, porém, não estava na sede.

O agente, que também era comandante da companhia da Polícia Militar em Saquarema, foi afastado do cargo e realocado na parte administrativa do 25° BPM.

Repercussão e desdobramentos

O caso ganhou grande repercussão na mídia e na sociedade, com muitas críticas à atuação policial e exigências de punição para os envolvidos.

Ao tomar conhecimento da condenação do Cabo Gerson Jucá Quirino Rolim de Paula, a vítima e sua família manifestaram alívio e sensação de justiça parcialmente feita.

A defesa dos policiais absolvidos alegou falta de provas e afirmou que seus clientes eram inocentes de todas as acusações.

Além do julgamento criminal, a Corregedoria da Polícia Militar está conduzindo um processo administrativo para avaliar as condutas dos agentes envolvidos. Caso seja constatada responsabilidade, eles podem receber punições disciplinares que vão desde advertência até demissão.

O caso também levantou debates sobre a necessidade de aprimorar os protocolos de atuação policial, especialmente nas abordagens realizadas pelo Proeis, visando evitar abusos de poder e garantir a integridade física e emocional dos cidadãos abordados.

Conclusão

O julgamento dos policiais envolvidos no caso de estupro durante uma abordagem policial em Saquarema chegou ao fim com a condenação de um policial por estupro e a absolvição dos demais acusados. A Justiça e a Corregedoria da Polícia Militar continuam a investigar o caso e a tomar medidas para responsabilizar os culpados e prevenir futuros abusos dentro da instituição. É fundamental que a sociedade exija transparência e punição adequada para garantir a confiança na polícia e a segurança de todos os cidadãos.

Imagem:

Fonte: Guia Região dos Lagos

Ajude-nos e avalie esta notícia.
Bruno Rodrigo Souza

Bruno Rodrigo Souza

Bruno é Fundador e Editor no Guia Região dos Lagos

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]