Búzios: Criação do Museu da História de Búzios reúne comunidade em debate.

spot_img

Búzios reúne sociedade civil para discutir criação do Museu da História Buziana

Nesta quarta-feira (24), a Secretaria Municipal de Cultura e Patrimônio Histórico de Búzios promoveu uma reunião crucial para definir a identidade do futuro Museu da História Buziana. O encontro teve como foco principal a escuta ativa da sociedade civil, incluindo fazedores de cultura, artistas locais e povos tradicionais.

O Secretário de Cultura e Patrimônio Histórico, Romano Lorenzi, destacou a importância da participação da comunidade nesse processo de construção museológica. O evento, realizado no auditório da Secretaria de Turismo, permitiu aos presentes ouvirem detalhes sobre o processo de construção, parcerias e convênios em andamento.

Inclusão da comunidade na construção do museu

Lorenzi ressaltou a necessidade de desmistificar a ideia de museus como simples espaços expositivos. De acordo com ele, o trabalho envolve etapas que vão além da exposição de objetos, como acordos com instituições e a colaboração de profissionais de áreas diversas.

O museu será um espaço inclusivo, de acordo com o Conselho Internacional de Museus, com a função de servir à sociedade. Lorenzi destacou que Búzios é um importante objeto de estudo e que o museu será um reflexo do território e uma conquista da comunidade.

Preservação da cultura caiçara de Búzios

A iniciativa tem como foco preservar a rica cultura caiçara de Búzios, que inclui a cultura quilombola e tradições como a puxada de rede. O Secretário enfatizou que a salvaguarda da cultura local é fundamental, pois os objetos do museu não terão vida sem o valor imaterial que representam.

Búzios, além de suas famosas praias, possui uma rica herança cultural, com histórias de pescadores, marisqueiras, mulheres caiçaras e comunidades quilombolas. O museu se propõe a ser o guardião dessas tradições, incorporando o conhecimento coletivo da comunidade.

Um processo coletivo

A construção do museu é um processo coletivo, nascendo da união e participação ativa da sociedade. Além de preservar o patrimônio material e imaterial de Búzios, o museu também promoverá diversidade, sustentabilidade e oferecerá experiências educativas e reflexivas tanto para os cidadãos buzianos quanto para visitantes de todo o mundo.

A participação da sociedade civil é essencial nesse processo, e o Museu da História Buziana contará com a formação de grupos de trabalho para impulsionar pesquisas, aquisição de acervos e desenvolvimento de projetos como “Escuta” e “Gavetas com Memória”.

O Museu da História Buziana não será apenas um espaço expositivo, mas sim um local de reflexão, pesquisa e visitação. Com apoio de instituições como IBRAM, IPHAN e INEPAC, além de profissionais como museólogos, historiadores, antropólogos, sociólogos e arqueólogos, o museu terá uma base sólida antes de sua abertura.

Portanto, a criação deste museu é uma conquista conjunta, que reflete o valor da cultura buziana e permitirá que ela seja compartilhada e apreciada por todos.

Ajude-nos e avalie esta notícia.

Ajude-nos e avalie esta notícia.
Bruno Rodrigo Souza

Bruno Rodrigo Souza

Bruno é Fundador e Editor no Guia Região dos Lagos

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]