Aumento de 587% nos casos de dengue em Rio das Ostras, RJ

Foram registrados 9.963 casos prováveis

**: Casos de dengue crescem 587% no estado do Rio de Janeiro**

**Ações diárias**
O Rio de Janeiro enfrenta uma forte tendência de aumento dos casos de dengue, com números acima da média histórica, de acordo com o boletim semanal do Centro de Inteligência em Saúde (CIS). Nas três primeiras semanas de janeiro, foram registradas 9.963 notificações de casos prováveis da doença, representando um crescimento de 587% em relação ao mesmo período de 2023. Oito das nove regiões do estado estão com números de vítimas acima da média, e cidades como Resende, Itatiaia e apresentam um crescimento ainda mais alto que o esperado.

Para enfrentar essa situação, o governador Cláudio Castro e a secretária de Estado de Saúde, Claudia Mello, apresentaram o Plano Estadual de Combate à Dengue. O plano prevê ações diárias envolvendo o uso de tecnologia, qualificação e apoio aos 92 municípios do estado. Foram adquiridos equipamentos e insumos para montar 80 salas de hidratação, que terão capacidade para até oito mil pacientes por dia. Além disso, o estado poderá converter 160 leitos de nove hospitais para o tratamento da doença e treinar dois mil médicos de emergências e profissionais de saúde dos municípios para garantir um diagnóstico mais preciso e um tratamento adequado.

A secretária de Estado de Saúde ressaltou a importância do monitoramento diário da incidência de casos de dengue em todas as cidades do estado, realizado pelo Centro de Inteligência em Saúde. Ela também destacou a necessidade de colaboração entre as prefeituras e o governo estadual para agir rapidamente e fornecer equipamentos e treinamento às equipes de saúde.

**Circulação**
No Rio de Janeiro, estão circulando os sorotipos 1 e 2 do vírus da dengue. Um caso do sorotipo 4 foi identificado, mas ainda não há circulação. O sorotipo 3 está em circulação em Minas Gerais e São Paulo, mas não é registrado no Rio desde 2007. A Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde está monitorando os sorotipos circulantes nas rodovias que fazem a integração com outros estados do Sudeste.

A Organização Panamericana de Saúde (Opas) realizou capacitação teórica e prática com a equipe da Secretaria de Saúde, simulando a resposta a uma possível epidemia. O treinamento incluiu o apoio às prefeituras na elaboração de planos de contingência.

**Vacina**
Segundo o Ministério da Saúde, a vacina contra a dengue estará disponível para a população a partir de fevereiro. Nesse primeiro momento, serão vacinados os municípios de grande porte com alta transmissão do vírus nos últimos dez anos. O público-alvo são crianças e jovens de 10 a 14 anos, e o esquema vacinal é de duas doses, com um intervalo de três meses.

Também na rede privada, há um aumento de casos de dengue. Os hospitais da Rede D'Or no estado do Rio de Janeiro registraram um aumento médio de 778% no número de pacientes diagnosticados com dengue em janeiro, em comparação com o mesmo período do ano anterior. A maior alta proporcional foi registrada no pronto atendimento do Hospital Rios D'Or, em Jacarepaguá, com um aumento de 2.300% no atendimento de pacientes com a doença.

**Preocupação**
O diretor nacional de Infectologia da Rede D'Or, David Uip, destacou a preocupação com o crescimento dos casos de dengue nos hospitais da rede nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal. Ele ressaltou que, se houver a circulação do sorotipo 3, o número de pessoas suscetíveis à doença aumentará, o que não ocorria há 15 anos. As pessoas que já tiveram dengue no passado podem apresentar sintomas mais severos.

O infectologista também salientou a importância de a população estar atenta aos principais sintomas da doença e buscar assistência hospitalar especializada caso os apresente. Além disso, ele ressaltou a necessidade de adotar medidas recomendadas pelas autoridades sanitárias, evitando recipientes com água parada nos domicílios para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue.

**Imagens**

Imagem 1: [Insira uma imagem mostrando a prevenção e combate à dengue, como a eliminação de possíveis criadouros do mosquito transmissor. Inclua o texto alternativo “Prevenção e combate à dengue”.]

Imagem 2: [Insira uma imagem mostrando os sintomas da dengue, como febre, dor de cabeça e dores no corpo. Inclua o texto alternativo “Sintomas da dengue”.]

Imagem 3: [Insira uma imagem mostrando o mapa do estado do Rio de Janeiro e as regiões com maior incidência de casos de dengue. Inclua o texto alternativo “Mapa com incidência de casos de dengue no estado do Rio de Janeiro”.]

Imagem 4: [Insira uma imagem mostrando uma pessoa sendo vacinada contra a dengue. Inclua o texto alternativo “Vacinação contra a dengue”.]

Imagem 5: [Insira uma imagem mostrando a campanha de conscientização sobre a dengue, com pessoas eliminando possíveis criadouros do mosquito transmissor. Inclua o texto alternativo “Campanha de conscientização sobre a dengue”.]

**Conclusão**

Os casos de dengue no estado do Rio de Janeiro apresentam um crescimento significativo, com um aumento de 587% nos primeiros meses deste ano em comparação com o mesmo período do ano anterior. As autoridades de saúde estão adotando medidas para enfrentar essa situação, como a implementação de um plano estadual de combate à dengue, a criação de salas de hidratação e a capacitação de profissionais de saúde. A vacina contra a dengue estará disponível a partir de fevereiro, inicialmente para os municípios com alta transmissão do vírus. É importante que a população esteja atenta aos sintomas da doença e adote medidas de prevenção, como a eliminação de recipientes com água parada. A conscientização e a colaboração de todos são fundamentais para combater a dengue e proteger a saúde da população.

Fonte da Notícia: Plantão Guia Região dos Lagos

Ajude-nos e avalie esta notícia.
Bruno Rodrigo Souza

Bruno Rodrigo Souza

Bruno é Fundador e Editor no Guia Região dos Lagos

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]