Ar-condicionado: eficiência e sustentabilidade na economia

Como ar-condicionado contribui para uso econômico e sustentável

Ar-condicionado: uso econômico e sustentável

De acordo com o gerente sênior da divisão de ar-condicionado na Samsung Brasil, Daniel Fraianeli, as estações mais quentes do ano estão aumentando a procura por aparelhos de ar-condicionado. No entanto, o uso desses equipamentos sempre foi motivo de preocupação para os defensores do meio ambiente, devido ao seu alto consumo de energia e impacto na conta de luz.

Felizmente, a evolução da tecnologia e a responsabilidade das empresas do setor têm possibilitado uma verdadeira revolução no uso doméstico do ar-condicionado. Os aparelhos modernos são cada vez mais eficientes em termos de consumo de energia, incorporando recursos como os inversores de frequência, conhecidos como tecnologia Inverter. Essa tecnologia permite a manutenção da temperatura sem a necessidade de ligar e desligar o aparelho a todo momento, proporcionando uma climatização mais precisa e econômica.

Além disso, os novos aparelhos são mais resistentes a oscilações de energia, suportando picos de energia e garantindo um funcionamento estável. Também possuem sistemas de monitoramento e controle inteligente, que mostram em tempo real o consumo de energia em kilowatts e reais.

Essas funções não só reduzem os custos para os consumidores, como também contribuem para a conservação de recursos naturais e a redução das emissões de carbono na atmosfera. Isso ocorre, em parte, devido à utilização do gás refrigerante R32 de última geração em novas linhas de aparelhos. Esse gás tem um baixo impacto no aquecimento global e ajuda a reduzir o efeito estufa em comparação com outros refrigerantes convencionais.

É importante ressaltar que os esforços conjuntos da sociedade civil e entidades reguladoras têm desempenhado um papel fundamental nessa evolução. Novos índices de eficiência energética do Inmetro, por exemplo, entraram em vigor no Brasil desde janeiro de 2023. Esses índices fornecem aos consumidores uma visão mais clara da eficiência dos produtos e estimulam as fabricantes a se adequarem.

Algumas empresas já estão atentas às demandas dos consumidores e aos critérios de ESG (Environmental, Social and Corporate Governance). Elas desenvolvem aparelhos com índices de eficiência energética maiores do que o mínimo estipulado pelo Inmetro. Dessa forma, esses produtos já estão disponíveis no mercado e oferecem maior economia para os consumidores.

No entanto, é fundamental que a conscientização sobre o consumo responsável de energia vá além dos benefícios individuais. A escolha por aparelhos de ar-condicionado com tecnologias de eficiência energética contribui para a preservação dos recursos naturais e para a redução do estresse sobre o planeta.

Portanto, ao adquirir um ar-condicionado, é importante verificar o índice de eficiência energética do produto e escolher marcas comprometidas com a sustentabilidade. Afinal, o uso econômico e sustentável do ar-condicionado beneficia tanto o consumidor quanto o meio ambiente.

Ajude-nos e avalie esta notícia.
Felipe Rabello

Felipe Rabello

Felipe é um dos editores do Guia Região dos Lagos.

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]