Grupo detido após filmagem de cena de roubo a banco em Búzios

Jornal de Sábado

Búzios: Gravação de videoclipe com cena de assalto a banco em Búzios termina com grupo levado para delegacia

Um episódio inesperado ocorreu durante a gravação de um videoclipe em Búzios, na última segunda-feira. O grupo responsável pelas filmagens tinha a intenção de simular um assalto a banco seguido de fuga, no entanto, acabaram sendo detidos e encaminhados para a delegacia. A Polícia Militar informou que o incidente aconteceu na Avenida José Bento Ribeiro Dantas.

De acordo com as informações do 25º BPM – Cabo Frio, ao chegarem ao local, os policiais se depararam com oito homens portando uma réplica de fuzil, duas réplicas de pistolas e R$15 mil em notas de R$100 (todas réplicas). Os acusados afirmaram estar realizando uma filmagem para um videoclipe. A ocorrência foi encaminhada para a 127ª Delegacia de Polícia.

Um dos presentes durante a gravação foi o empresário João Victor Berbert, que compartilhou nas redes sociais uma foto do grupo na porta da delegacia, acompanhada da legenda “Deu red”. Outros integrantes da equipe também compartilharam os acontecimentos nas redes sociais.

O videoclipe em questão era da música “Menor Visionário”, de St x Lil Bert, lançada em março deste ano pela gravadora BBR. A gravação contava com a participação desse grupo de oito homens e tinha como objetivo retratar uma situação de assalto a banco e fuga.

Imagem da gravação do videoclipe em Búzios

Apesar da situação inusitada, a gravação do videoclipe teve uma intensa repercussão nas redes sociais, com muitos internautas comentando sobre o ocorrido. A própria iniciativa de simular um assalto a banco em um local público como Búzios também gerou polêmica.

A discussão sobre os limites artísticos e o impacto que certas representações podem ter na sociedade é sempre relevante. É importante que os artistas tenham consciência do poder de influência que possuem e tomem cuidado ao abordar temas sensíveis como crimes e violência.

A Polícia Militar, ao abordar a situação, agiu corretamente ao verificar se as armas utilizadas eram réplicas e encaminhar o caso para a delegacia. É necessário que a segurança pública esteja sempre atenta a possíveis situações de risco, mesmo que se trate de uma gravação de videoclipe.

A partir desse incidente, fica o alerta para que as produções audiovisuais tenham maior cautela e responsabilidade ao abordar temáticas delicadas. A simulação de crimes não deve ser banalizada, pois pode gerar confusões e colocar em risco a vida dos envolvidos e das pessoas ao redor.

Conclusão

A gravação de um videoclipe em Búzios terminou de forma inesperada, com o grupo responsável sendo levado para a delegacia. A intenção era simular um assalto a banco seguido de fuga, mas a presença de réplicas de armas levou as autoridades a agirem e encaminharem o caso para investigação.

A discussão sobre os limites artísticos e a responsabilidade dos artistas ao retratar temáticas sensíveis é essencial. É importante que as produções audiovisuais tenham cuidado ao abordar crimes e violência, evitando banalizar essas questões e gerar confusões e riscos.

Espera-se que esse episódio sirva como aprendizado para todos os envolvidos, reforçando a importância de se considerar o impacto que as representações artísticas podem ter na sociedade.

Ajude-nos e avalie esta notícia.
Picture of Bruno Rodrigo Souza

Bruno Rodrigo Souza

Bruno é Fundador e Editor no Guia Região dos Lagos

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
[wilcity_before_footer_shortcode]