Menu

> Cidades

Hóspede argentina é presa por injúria racial após chamar funcionária de hostel de ‘preta de mierda’ – Notícia de Arraial do Cabo

cadastre-se aqui

Uma mulher argentina é presa por racismo após chamar uma funcionária de um hostel em de “preta de mierda” nesta última quinta-feira (17).

As imagens das câmeras de segurança do hostel em que a argentina estava hospedada gravaram cenas para comprovar o crime, que aconteceu por volta das 2h50.

A funcionária do Enseada Hostel estava limpando uma área do hotel quando a hóspede desceu para pedir para desligar o ar condicionado do quarto compartilhado que ela tentava desligar. A funcionária informou que por se tratar de um hostel, os hóspedes ficam em quartos compartilhados, portanto existem regras para o bom convívio com outros viajantes.

“Por exemplo, o ar-condicionado que tem que estar ligado a 22º C, mas a hóspede queria mudar isso porque pra ela estava ruim. E ela foi reclamar com a funcionária, que explicou pra ela. Mas ela ficou revoltada e fez isso”, disse Eduardo, dono do estabelecimento · Gomez (Eduardo Gomes).

Depois que a mulher argentina cometeu o ato injúria racial, a polícia foi chamada ao local e ela foi levada para a delegacia e liberada sob fiança.

A pousada informou que após ser liberada da delegacia, a hóspede retornou à pousada por volta das 23h para recolher seus pertences com um amigo para que esse pudesse pegar seus pertences, umas vez que a mesma não poderia mais voltar ao local.

A nota do hostel também diz que “encerrou imediatamente a estadia da acusada em seu estabelecimento e tomou todas as providências”, além disso declara que “Uma sociedade plural e diversa precisa encarar a importante tarefa de combater o racismo. Portanto ao confirmarmos o ato racista ocorrido dentro das nossas dependências passamos imediatamente a apoiar a vítima em todos os aspectos, inclusive colocando a disposição auxílio jurídico para registrar ocorrência delegacia”.

O caso foi registrado nesta quinta-feira na 132ª DP, em . No mesmo dia, o departamento de polícia também registrou outro caso de agressão racial em São Pedro da Aldeia. Em um segundo caso, uma mulher chamou um um policial militar de “macaco”.

cadastre-se aqui
Ajude-nos e avalie esta notícia.
Bruno Rodrigo Souza

Bruno Rodrigo Souza

Bruno é Fundador e Editor no Guia Região dos Lagos

Use os botões abaixo para compartilhar este conteúdo:

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp